domingo, maio 15, 2016

Lamento


A areia jaz sob meus pés
o relógio decompõe o tempo
frio
lento

já não há mais palavras
meus lábios estão mudos
apenas gemem
febricitantes

no silêncio da rocha
um ferimento
o barco afundou no cais
vento.


3 comentários:

gpmv disse...

Estás a escrever como portuguesa... a areia, esse relógio, essas belas palavras trazem ares lusitanos.

Marília Côrtes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marília Côrtes disse...

rsr... Não havia pensado nisso, mas, pensando agora, talvez seja influência do sangue (eu não poderia negá-lo, já que tenho ascendência portuguesa rs), e das leituras que faço. Dizem que os portugueses fizeram muita MMMM (risos), mas se há algo que eles sabem fazer muito bem é escrever. Há uma grande quantidade de poetas e escritores portugueses que sempre leio e admiro. Mas nesse universo (de escrever poemas) acho que sou apenas uma criança que brinca de rabiscar... (de qualquer modo, gostei do elogio, obrigada).