quarta-feira, setembro 23, 2009

Relíquia de Amor

Toda vez que faço arrumações em meu quarto – que agora virou quarto de estudos ─ acabo revendo cartas e papéis que há muito estavam ali guardados. Sempre encontro umas coisinhas interessantes... relíquias, eu diria, que marcaram minha vida.

Abri uma gaveta e encontrei hoje, pela milésima vez em tantos anos que guardei daqui pra lá e de lá pra cá, um livrinho pequenininho (desculpe a redundância, leiam como pura ênfase no tamanhinho dele), de capa dura, intitulado Amor Total.
Este Amor Total é, na verdade, um pequeno soneto de Vinicius de Moraes que neste caso se apresenta numa edição ilustrada (com flores, folhas, pássaros e borboletas coloridas) por Joan Berg - Editora Record.

Eis o soneto:

Amo-te tanto, meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.

(Vinicius de Moraes)


Bom, este soneto ganhei de presente de um outro poeta.

Ao abrir o livro, encontro uma dedicatória assim:

Marília:
Mostra teu desenho do amanhã
(por certo colorido e em paz)
que eu assisto:
raiando o dia colorido
como teu desenho vivo.

Ao final, depois do soneto, mais algumas palavras daquele que me presenteou:

Nossa vida
um dia despertará
em uma imensa primavera

Sei esperar
sem precisar dormir
o vôo da andorinha
que me foge
como você

mas estou aqui
te esperando
como quem nunca separou

(Antônio Thadeu Wojciechowski, em 23/07/80)

[ai ai ai Guiguis... não precisa ficar com ciúmes, pois nosso amor já mudou de folhas, pétalas e plumagens, mas continua (um) presente!!!]

2 comentários:

Maria Teresa disse...

Marília:
Nem sei bem como cheguei até aqui, mas cheguei e li com interesse o que há neste seu espaço onde a palavra merece sempre destaque. Já estou seguindo-a, embalada por Vinícius e morrendo de vontade de ler Lolita. Abraços.
PS: convido-a também a visitar o blog Ouvindo meus botões: mteresahf.blogspot.com

Marília Côrtes disse...

Oi Maria Tereza. Legal vc chegar aqui. E eu cheguei até aí também. Estou "in trânsito" mas já dei uma boa espiadela no seu blog (acho que temos algo em comum... palavras.
Quando eu voltar darei mais um passeio por ele que, de cara, já despertou meu interesse.
Obrigada pelo comentário e seja benvinda.
Um abraço